12.02.2021

A estratégia de suplementação nas águas

A estratégia de suplementação nas águas

A crescente demanda por alimento pela população mundial tem impulsionado cada vez mais o agronegócio, de forma que a busca por maior eficiência produtiva, um objetivo ainda mais almejado pelas empresas do segmento bem como a cadeia produtiva, ganha importante destaque. Juntamente a esse crescimento, outro valor tem se tornado primordial: a busca por uma produção sustentável. Não obstante, a missão da agropecuária permanece firme em sua busca por abastecer o mundo com proteína vegetal e animal, otimizando ao máximo a produção por área. "Para alcançar esse objetivo, acreditamos que a disponibilidade de recursos e tecnologia devem agir de forma sinérgica, favorecendo o sistema de produção e produzindo alimentos de qualidade para o mundo", conta Osvaldo Sousa, Coordenador de P&D da Nutricorp.

O Brasil possui 170 milhões de hectares de pastagens, sendo 100 milhões de pastagens cultivadas (ANUALPEC, 2017). Apesar desses números, os índices zootécnicos não são satisfatórios durante o ano todo, devido a sazonalidade climática interferir na produção das forrageiras e não atender às exigências de nutrientes dos animais por um considerável período do ano. A solução para driblar esses gargalos da produção pode ser um bom manejo de pastagem juntamente com a adoção de estratégias de suplementação, a fim de complementar o aporte nutricional das forragens, atender os requerimentos e otimizar o desempenho do rebanho (Cardoso et al., 2006). "Partindo da premissa de que a estratégia de suplementação varia de acordo com a época do ano e, por consequência da oferta e qualidade das forragens, podemos dizer que, no período de escassez de chuva e baixa qualidade nutricional da forragem, o objetivo da suplementação de secas é principalmente otimizar o consumo de matéria seca (CMS) através de uma suplementação proteica, enquanto que no período chuvoso, o objetivo da suplementação é incrementar o aporte proteico-energético e otimizar o desempenho do rebanho", explica Osvaldo.

No verão, com o índice pluviométrico e o fotoperíodo em maior quantidade, as pastagens tropicais e subtropicais apresentam uma rápida taxa de crescimento. "Por isso, no período das águas, para que a produção seja otimizada, devemos sempre buscar um sincronismo entre o teor nutricional da pastagem e o suplemento, de forma que o suplemento forneça nutrientes que possibilitem ao animal aproveitar a forragem ao máximo. Dessa maneira,  além de incrementar a estratégia nutricional, também ocorrem melhorias no desempenho e maior produtividade por área", conta Osvaldo.

 

ANÁLISE

Buscando mostrar os reais benefícios e/ou fatores que possam influenciar a utilização da suplementação com sais de cálcio de ácidos graxos (SCAG), a Nutricorp, vem através do Nutri Gordura® (NG), realizando a suplementação de bovinos a pasto durante o período das águas. No confinamento, NG  resulta em uma melhoria nos parâmetros de eficiência do rebanho (eficiência alimentar [EA] ou conversão biológica [CB]), mas nenhum outro estudo avaliou o efeito dessa tecnologia na suplementação de bovinos a pasto, como desempenho e eficiência da utilização da área e recursos naturais. "Partindo desse racional, avaliamos que a inclusão ou não de NG em dois níveis de suplementação a pasto, tais como suplementação a 0,3 e 1,0% do peso vivo (PV) sobre os parâmetros produtivos e comportamento de ingestão de água e os resultados foram muito significativos", conta Osvaldo. 

 

Trinta e dois tourinhos Nelore (PV inicial = 318 ± 11,2 kg) foram divididos de acordo com o PV e atribuídos a 1 de 4 tratamentos: SP03-: Suplemento proteico-energético a uma taxa de 0,3% do PV sem a inclusão de NG (n = 8 animais); SP03+: Suplemento proteico-energético a uma taxa de 0,3% do PV com a inclusão de NG (n = 8 animais); SP1-: Suplemento proteico-energético a uma taxa de 1,0% do PV sem a inclusão de NG (n= 8 animais); SP1+: Suplemento proteico-energético a uma taxa de 1,0% do PV com a inclusão de NG (n = 8 animais). "No início do estudo, os tratamentos SP03+ e SP1+ foram formulados para resultarem em um consumo semelhante de NG (90 g/cabeça dia). Os animais foram mantidos em um único grupo e rotacionados entre dois piquetes (2 ha/piquete) compostos de pastagem de Brachiaria brizantha cv. Marandu. A rotação dos piquetes foi efetuada entre 9-11 dias, baseado na massa de forragem disponível nos piquetes. E, os tratamentos eram oferecidos diariamente (08:00h) em cochos individuais eletrônicos (Integrado; Contagem, Minas Gerais, Brazil). O sistema era composto por 1 bebedouro próximo ao cocho de suplementação (50 m de distância) e 8 cochos (2 cochos/tratamento; 4 animais/cocho). Esse sistema coleta todos os dados de ingestão de água e suplemento de cada animal, bem como o comportamento de ingestão dos mesmos (visitas ao cocho e tempo de refeição). O bebedouro ainda continha uma balança para pesagem dos animais e, essa pesagem era utilizada para ajustar o fornecimento do suplemento semanalmente durante todo o período experimental.

 

"Como esperado, os animais do grupo SP1, independentemente da inclusão de NG, apresentaram um maior ganho de peso diário (GPD; P < 0.001) e, consequentemente, maior PV ao final (P < 0.02) do estudo quando comparado aos animais do grupo SP03. A inclusão de NG a um nível de suplementação de 0,3% do PV demonstrou melhorar o desempenho dos animais, onde os animais do grupo SP03+ apresentaram melhor GPD  vs. SP03- (P < 0.04; Tabela 1), enquanto que não houve diferença entre SP1- vs. SP1+. Esses dados indicam a efetividade do NG em melhorar o desempenho produtivo de animais a pasto, podendo ser uma tecnologia a ser adotada pelo produtor nos sistemas produtivos de recria a pasto", contextualiza. A falta de efeitos positivos do NG nos suplementos 1,0% PV se deve ao fato de o consumo projetado do suplemento não ter sido obtido (0,6 vs. 1,0% PV) que afetou a efetividade da tecnologia, já que ela apresenta uma resposta de acordo com a dose consumida. 

 

Tabela 1. Parâmetros de desempenho de tourinhos Nelore suplementados com 0,3% ou 1,0% do PV com inclusão ou não de Nutri Gordura®1.

Item

 

SP03

 

SP1

SEM

Valor de P

SP03-

SP03+

 

SP1-

SP1+

Suplemento

SCAG

Suplemento x SCAG

PV inicial, kg

317

318

 

318

318

4.2

0.89

0.85

0.96

PV final, kg

396

410

 

426

426

9.7

0.02

0.44

0.57

Mudança de PV, kg

79

92

 

108

110

6.5

0.001

0.36

0.50

GPD, kg/dia

0,81a

0,92b

+0,11

1,11c

1,12c

0.041

0.001

0.23

0.04

abcLetras que diferem entre si na mesma linha apresentam diferença significativa (P < 0.05).

1SP03- = Suplementação de 0,3% do PV sem a inclusão de NG; SP03+ = Suplementação de 0,3% do PV com a inclusão de NG; SP1- = Suplementação de 1,0% do PV sem a inclusão de NG; SP1+ = Suplementação de 1,0% do PV com a inclusão de NG.

 

Além do efeito positivo no desempenho animal (+ 108 g/dia), a suplementação com NG, independentemente do nível de suplementação, tendeu a diminuir o consumo de água dos animais, quando calculado em % do PV (#4 - Informa Nutri - produção sustentável). Em outras palavras, a suplementação com NG durante o período das águas é uma alternativa que melhora o desempenho do rebanho, mantendo a utilização dos recursos naturais, que, invariavelmente se tornarão mais escassos para a produção pecuária. Esses atributos estão em linha com o objetivo e a responsabilidade das atividades pecuárias, aumentando a produção sem aumentar a utilização de recursos naturais. 

Sobre a Nutricorp


A Nutricorp, empresa referência em qualidade e inovação no agronegócio, é especialista em soluções criativas em nutrição e bem-estar de bovinos de corte e leite, tendo qualidade e segurança incorporadas no seu DNA, sempre visando a satisfação de seus clientes e o cuidado com o meio-ambiente. Com mais de 20 anos de mercado, a marca sempre atuou próxima aos produtores e fábricas, atendendo suas demandas com o máximo de expertise e personalização. Pioneira em transformar coprodutos da agroindústria alimentícia em produtos inovadores e eficazes criando novas soluções com foco em nutrição animal e desempenho produtivo na cadeia de ruminantes. Como principal valor, a companhia preza por suas relações com clientes, fornecedores e colaboradores, entregando e pensando sempre na promoção do melhor e como objetivo, seu desejo é nutrir com inovação as relações na agropecuária, assegurando sabor e saúde, na fazenda e na mesa. https://www.nutricorp.com.br.

Postado por Alfapress Comunicações | 0 comentários
Marcadores: Babysol

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando...