01.12.2016

Emprego na construção civil acumula queda de 10,5% no ano nas regiões de Campinas, Piracicaba e Limeira

Emprego na construção civil acumula queda de 10,5% no ano nas regiões de Campinas, Piracicaba e Limeira

A construção civil nas regiões metropolitanas de Campinas, Piracicaba e Limeira sofreram redução de 10,5% na taxa de emprego em 2016 em relação ao ano anterior. Os dados são do SindusCon-SP (Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo), em parceria com a Fundação Getúlio Vargas (FGV), com base em informações do Ministério do Trabalho e do Emprego (MTE). 

Entre os setores que tiveram maior queda estão o imobiliário (16,81%), serviços de engenharia (11,69%), infra estrutura (9,49%) e preparação de terreno (8,95%). Em menor escala, outros serviços (6,96%), obras de acabamento (6,50%), obras de instalação (5,22%) e incorporações de imóveis (0,02%) também sofreram baixa. Atualmente, a região oferece 76.297 postos de trabalho na construção civil, que representam 10,68% do setor em todo o estado de São Paulo.

Os números também estimam que o estado de São Paulo irá sofrer uma queda de 11,6% na evolução do emprego na construção civil. A expectativa é que o setor caia mais do que em 2015, quando atingiu -7,1%. No Brasil, o estoque de emprego deve chegar a - 14,5%, enquanto no ano passado registrou – 10,1%.

Apesar dos números negativos, o mercado da construção civil ainda se mostra otimista em relação ao desempenho de 2017. “Mantemos a expectativa positiva para 2017, mas aguardamos pelas decisões do governo para que ela se concretize, como diminuição de burocracia e incentivo ao setor. Esperamos que até março tenhamos um cenário favorável. Por esse motivo, os índices positivos poderão ser observados com maior clareza no começo do ano”, explica o diretor da Regional do SindusCon-SP em Campinas, Mário Benvenutti.

 

Queda de emprego na construção em outubro na cidades

A construção civil na cidade de Campinas registrou uma redução de 1,43% no nível de emprego em outubro na comparação com setembro, com fechamento de 279 postos de trabalho na cidade. O saldo de trabalhadores foi de 19.529 para 19.250. No acumulado do ano, a redução chega a 11,71%, ou seja, - 2.721 vagas. 

Este é o 6º mês consecutivo de queda de vagas de emprego em Campinas. Apesar disso, em outubro a queda foi mais acentuada em relação aos meses passados. Em setembro a queda havia sido de 1,46% e em agosto foi de 2,03.

Na região, a maior queda ficou com Piracicaba (-2,3%). Em outubro, a cidade perdeu 149 vagas. Em contrapartida, Paulínia foi a que mais subiu (4,23%) com um acréscimo de 47 vagas em outubro.

Veja abaixo os números das principais cidades integrantes da Regional do SindusCon-SP em Campinas:

 

Emprego por cidades

(outubro de 2016)*

Cidade

Variação mensal (%)

Variação absoluta do estoque

Americana

-0,51

-22

Campinas

-1,43

-279

Indaiatuba

-0,76

-47

Limeira

1,62

78

Paulínia

4,23

47

Piracicaba

-2,31

-149

Rio Claro

-1,94

-45

Valinhos

0,27

3

     
     
 

 *Os dados da tabela consideram os fatores sazonais

 

 

Sobre o SindusCon-SP

O Sindicato da Indústria da Construção Civil do Estado de São Paulo (SindusCon-SP) é a maior associação de empresas do setor na América Latina. Congrega e representa 650 construtoras associadas e 22,5 mil filiadas em todo o estado. A construção paulista representa 27,5% da construção brasileira, que por sua vez equivale a 5,3% do Produto Interno Bruto do Brasil.

 

Assessoria de imprensa SindusCon-SP:

Isabela Rodrigues

Consultora de Comunicação 

(19) 2136-3515 / (19) 99606-1511

isabela.rodrigues@alfapress.com.br

 

Nikolas Capp
Consultor de Comunicação
(19) 2136-3524 / 99606-1507
nikolas.capp@alfapress.com.br

 

Postado por Alfapress Comunicações | 0 comentários
Marcadores: Sinduscon

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando...