01.12.2021

Irrigação por gotejamento alia sustentabilidade e altas produtividades e se torna principal ferramenta na era da ‘Irrigação 5.0”

Irrigação por gotejamento alia sustentabilidade e altas produtividades e se torna principal ferramenta na era da ‘Irrigação 5.0”

Por Daniel Botelho Pedroso, especialista agronômico Netafim

 

Segundo consta na história, a agricultura originou-se no período neolítico nos vales e várzeas dos Rios Nilo, Tigre, Eufrates e Amarelo. Confundindo-se com esse período, a irrigação surgiu aproximadamente em 4.500 a.C., nas mesmas regiões. Naquela época os antigos agricultores desviavam as águas dos rios por canais até a área que seria irrigada.

Desde então, a agricultura, bem como a irrigação, passou por uma série de revoluções, desde a irrigação 1.0, onde os sistemas de irrigação eram utilizados apenas para fornecimento de água; a irrigação 2.0, onde, além de água, também era fornecido os nutrientes; a irrigação 3.0, que se caracterizou pela proteção dos cultivos via água de irrigação; até a irrigação 4.0, também conhecida como ‘Era da Irrigação Digital’.

No entanto, a evolução da irrigação não parou por aí. Com os adventos da COP 26, realizada recentemente na cidade de Glasgow na Escócia, com a política de descarbonização, o Renovabio, e com a exigência cada vez maior do mercado consumidor estrangeiro, principalmente Europa, a agricultura, e junto a ela a irrigação, vem adentrando uma esfera nova, a sustentabilidade ou como podemos nomear a Agricultura 5.0.

Não que nunca houvesse uma preocupação do agronegócio com esse tema, mas o que vivíamos é que a adoção da sustentabilidade estava mais ligada à decisão individual de cada produtor ou por fatores legislativos. Entretanto, o que se vê agora é uma necessidade crescente no aspecto sustentável, pois é o que está determinando o mercado.

Com essa aparente mudança na exigência do mercado consumidor externo, o que se verifica internamente é que os químicos (fertilizantes, defensivos, entre outros) começam a perder forças e se veem obrigados a procurar outras opções “menos agressivas” e o crescimento das empresas voltadas ao mercado de biológicos.

Com a irrigação, isso não é diferente. Devido a necessidade de se preservar a utilização de água, o estudo e implantação de um sistema de cobrança pelo uso da água e a desburocratização do processo de outorga, muitas empresas vêm buscando métodos mais eficientes de irrigação. O que correlacionamos como Irrigação 5.0, sendo o principal deles a irrigação por gotejamento.

O sistema de irrigação por gotejamento aplica água diretamente na região radicular, em alta frequência e baixa intensidade de aplicação, através de emissores conhecido como gotejadores, visando suprir a deficiência hídrica da planta, e mantendo o solo próximo à sua capacidade de campo. Desta forma, as perdas de água são reduzidas, desde que tenha sido elaborado um bom levantamento de dados do campo e projeto, correta instalação, bom manejo e manutenção, obtendo com isso eficiência no uso da água ao redor de 98%.

 

Imagem1.png
 

       Figura 01 Método de irrigação por gotejamento

Fonte: http://www.netafim.com

Com o gotejamento é possível aplicar produtos biológicos, tanto para fertilidade do solo como para controle de pragas, por exemplo. Em inúmeros trabalhos em cana-de-açúcar realizados pela empresa Netafim, constatou-se que é possível aplicar ácidos húmicos via sistema de gotejamento com expressivos aumentos de produtividades, aproximadamente de 27 ton/ha em solos arenosos.

Imagem2.png

                                                                                                      Figura 01. Aplicação do ácido húmico via sistema de gotejamento
 
Imagem3.png

                                                                                                       Foto 02. Plantas com ácido Húmico (esq) x testemunha (dir)

 

Além disso, foi observado controle de pragas utilizando o fungo Beauveria bassiana para controle de broca gigante no Nordeste com alta eficiência. A aplicação de esporos de B. bassiana através do sistema de gotejamento provou ser bem-sucedida em doses de 4, 6 e 8 kg / ha e manteve o número de amostras de broca gigante na testemunha

Imagem4.png

Formas vivas de Broca Gigante, 90 dias após a aplicação

 

No quesito nutricional uma grande vantagem pode ser observada, em trabalho realizado com a aplicação de bactérias como a Psedomonas e Azospirillum que elevaram em 20 ton/ha a produtividade em relação à testemunha.

Imagem5.png

                 

 

Através desses resultados podemos observar que o sistema de irrigação por gotejamento é uma excelente ferramenta para aumentar a produtividade dos canaviais de maneira muito sustentável, pois além de ser um sistema com alta eficiência na utilização da água, ainda é possível aplicar materiais biológicos. Desta maneira atendendo os protocolos de um mercado consumidor cada vez mais exigente.

 

Sobre a Netafim

Fundada em um pequeno kibbutz em Israel há mais de 50 anos, a Netafim é pioneira e líder mundial em soluções para irrigação. Com atuação em mais de 110 países, chegou ao Brasil na década de 1990, com um portfólio completo de produtos e soluções inovadoras de irrigação por gotejamento, que visam contribuir com o eficiente uso da água, aumentando a produtividade na agricultura e trazendo mais tranquilidade ao produtor rural.  

Postado por Alfapress Comunicações | 0 comentários
Marcadores: NETAFIM

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando...