03.01.2017

Partiu 2017: paz, alimentos e agronegócio

Partiu 2017: paz, alimentos e agronegócio

Primeiro de janeiro foi o Dia Mundial da Paz e não existe paz com pessoas passando fome. A produção de alimentos é a função mais nobre do agro. Graças a ciência, tecnologia, inovação e aos agricultores, a produção de alimentos tem atendido as necessidades da população mundial. De acordo com a Teoria de Malthus, por volta de 1800, a população tendia a crescer mais rapidamente (progressão geométrica) que a produção de alimentos (progressão aritmética). A escassez de alimentos já foi um dos principais motivos de conflitos entre povos e pessoas. Alimento, em quantidade e qualidade, é condição essencial para a paz, saúde, harmonia e felicidade.  Apesar de todas as turbulências de 2016, o agro cumpriu sua missão de prover os alimentos necessários, fazendo mais com menos. As mesmas áreas estão produzindo cada vez mais, com sustentabilidade. E a qualidade dos alimentos está cada vez melhor, contribuindo para que as pessoas vivam mais e melhor.

Primeiro de janeiro também foi o Dia da Confraternização Universal. As comemorações de Natal e Réveillon incluem as Ceias. As confraternizações requerem, via de regra, alimentos. Em diversos momentos citados na bíblia, alimentos tem destaque: a multiplicação de pães e peixes, o milagre da transformação de água em vinho em um casamento etc. 

O Brasil é um dos mais importantes produtores de alimentos do mundo. Mas não foi sempre assim. Antes de 1970 houve problemas de falta de diversos alimentos. Graças aos avanços proporcionados pela pesquisa, inovações foram incorporadas aos processos produtivos. O agro é que tem salvado a economia do Brasil, contribuindo com mais de 23% do PIB, 30 % dos empregos e 40% das exportações. Produzimos para atender as necessidades do povo brasileiro e somos um dos principais provedores de alimentos para o mundo. E os desafios e responsabilidades são cada vez maiores. 

2017 deve ser um ano melhor para o agro brasileiro que 2016. Consequentemente, será um ano melhor para o Brasil, que depende muito do agro para seu desenvolvimento. Importante que os problemas éticos/morais, políticos e econômicos/financeiros não interfiram negativamente. As expectativas são de recordes na produção de grãos, melhorias nos setores canavieiro, citrícola, cafeeiro, celulose e papel, carnes, frutas e hortaliças etc. 

Nas missas deste primeiro de janeiro houve um destaque para o dom da paz: "Senhor, fazei-me instrumento de vossa paz: onde houver ódio, que eu leve o amor; onde houver ofensa, que eu leve o perdão; onde houver discórdia que eu leve a união; onde houver dúvida, que eu leve a fé; onde houver erro, que eu leve a verdade; onde houver desespero, que eu leve a esperança; onde houver tristeza, que eu leve alegria; onde houver trevas, que eu leve a luz".

Que neste ano que se inicia todas as pessoas envolvidas no agro estejam com o sentimento de continuarem a contribuir com a melhoria da vida das outras pessoas, com seu trabalho e sua dedicação. Feliz 2017!

Sobre o CCAS

O Conselho Científico Agro Sustentável (CCAS) é uma organização da Sociedade Civil, criada em 15 de abril de 2011, com domicilio, sede e foro no município de São Paulo-SP, com o objetivo precípuo de discutir temas relacionados à sustentabilidade da agricultura e se posicionar, de maneira clara, sobre o assunto.

O CCAS é uma entidade privada, de natureza associativa, sem fins econômicos, pautando suas ações na imparcialidade, ética e transparência, sempre valorizando o conhecimento científico.

Os associados do CCAS são profissionais de diferentes formações e áreas de atuação, tanto na área pública quanto privada, que comungam o objetivo comum de pugnar pela sustentabilidade da agricultura brasileira. São profissionais que se destacam por suas atividades técnico-científicas e que se dispõem a apresentar fatos concretos, lastreados em verdades científicas, para comprovar a sustentabilidade das atividades agrícolas.

A agricultura, apesar da sua importância fundamental para o país e para cada cidadão, tem sua reputação e imagem em construção, alternando percepções positivas e negativas, não condizentes com a realidade. É preciso que professores, pesquisadores e especialistas no tema apresentem e discutam suas teses, estudos e opiniões, para melhor informação da sociedade. É importante que todo o conhecimento acumulado nas Universidades e Instituições de Pesquisa seja colocado à disposição da população, para que a realidade da agricultura, em especial seu caráter de sustentabilidade, transpareça. Mais informações no website: http://agriculturasustentavel.org.br/. Acompanhe também o CCAS no Facebook: http://www.facebook.com/agriculturasustentavel

Postado por Alfapress Comunicações | 0 comentários
Marcadores: CCAS

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Carregando...